10 de jul de 2012

Evolução do Princípio Espiritual.

A Doutrina Espírita em muito nos fala sobre a evolução espiritual. Comprova-nos que o Espírito é imortal (comprovação feita em reuniões mediúnicas), e que esta em constante processo de evolução. Porém desde a criação do princípio espiritual (em um dado momento que desconhecemos), até o momento em que este inicia com lampejos de razão, leva-se (ao tempo da Terra) séculos, sendo o Espírito um resultado disso, e antes disso, “um mero embrião” da criação.

Segundo a falange de Espíritos que compunham o consolador prometido pelo Cristo, ao serem indagados sobre este tema respondem a Kardec em O Livro dos Espíritos:

“ Entre os Espíritos, alguns foram criados bons e outros maus?”
“Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, quer dizer, sem ciência...” (q. 115).

Sabe-se que o tempo que levaremos para construirmos nossa moral, e receber o merecimento de habitar nas esferas de Espíritos Angelicais, é o tempo que levamos para alcançar a atual razão e sentimentos que possuímos. Nos dizeres da benfeitora espiritual Joanna de Ângelis:

“... Manifestando-se em sono profundo nos minerais através dos milênios, germina mediante processo de modificação estrutural, transferindo-se para o reino vegetal...”. (obra Iluminação Interior), (grifo nosso).
Salientamos que o Espiritismo nos mostra que esta modificação estrutural geralmente ocorre em planos espirituais diversos (Universo), ou em outros planetas.

Neste mesmo sentido, o benfeitor espiritual Emmanuel esclarece:

“A escala do progresso é sublime e infinita. No quadro exíguo dos vossos conhecimentos, busquemos uma figura que nos convoque ao sentimento de solidariedade e de amor que deve imperar em todos os departamentos da natureza visível e invisível. O mineral é atração. O vegetal é sensação. O animal é instinto. O homem é razão. O anjo é divindade”. (O Consolador, q.79), (grifo nosso).

Com estas revelações trazidas mediunicamente, o Espiritismo nos mostra que somos criados simples e ignorantes, e que de acordo com as necessidades e mutações biológicas e químicas, vamos, de tempos em tempos, atingindo nossos estágios nos reinos “inferiores”, alcançando mais a frente à fase hominal.

Talvez esta seja uma das lições mais difíceis de compreender em toda a Doutrina Espírita. Após milênios de evolução na Terra, só agora estamos amadurecidos para iniciar nossa compreensão nesta matéria, que é profunda, riquíssima e tem no Espiritismo sua plausível e real explicação.

Chegou o momento de compreendermos que de reinos em reinos, vamos evoluindo, saindo de um princípio espiritual criado há milênios, e paulatinamente avançando. Hora dormitamos no mineral, outrora iniciamos os sentimentos no vegetal para aperfeiçoar o instinto no reino animal, até a chegada na fase hominal, quando o Espírito já preparado em sua razão, une tudo isto, e inicia o seu livre-arbítrio na sua jornada de luz. É daqui para frente que vamos estagnar ou adiantar nossa evolução para outras moradas da Casa do Pai.

Devemos usar este verdadeiro caldo que a evolução nos deu para o bem, só assim, tudo o que construímos até agora, terá um resultado satisfatório que nos levara para estas Searas de luz.


Jivago Dias Amboni – Integrante do Movimento Espírita Organizado em Santa Catarina – Integrante do Centro Espírita Circulo da Luz, filiado a Federação Espírita Catarinense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário