30 de jun de 2011

O Tempo

O Espiritismo nos ensina que o tempo é uma concessão divina, necessário para que o espírito imortal o utilize em cada etapa de sua jornada para avançar um pouco mais na sua evolução.

Mas qual o tempo real? Aquele que mede os séculos, criados nos calendários das convenções humanas, ou o tempo divino, vigente não só na Terra, mas em todos os Planos habitados, Galáxias e Sistemas do Universo?

O Mentor espiritual de Chico Xavier, Emmanuel, nos ensina que o tempo Cósmico constitui um patrimônio na Construção Universal. Contudo, a criatura humana ainda em plano de provas e expiações não consegue, na maioria das suas reencarnações ver o tempo desta maneira. Diante de nossa pequenez no processo de evolução, nos utilizamos deste tempo não para este processo, mas sim, para seguir regras seculares, desperdiçando nossas ações nas ilusões do Mundo, criando situações para logo em seguida recomeçar novamente.

“Os interesses imediatistas do mundo clamam que o “tempo é dinheiro”, para, em seguida, recomeçarem todas as obras incompletas na esteira das reencarnações[1]...”

Lembremo-nos que nossas reencarnações não são destinadas ao ócio, ou a conclamação de que tempo é dinheiro. É ao contrário um balsamo necessário para aquisições de experiências e despojos das paixões da carne, construídas nesta encarnação e também em outras.

O tempo de agora é para desatarmos os nós de vidas passadas, de não o fazermos mais nesta, e começarmos a evoluir por meio de nossas ações, verbos e pensamentos.

Afinal, continua em seus ensinamentos Emmanuel.

 “Em quase todos os setores de evolução terrestre, vemos o abuso da oportunidade complicando os caminhos da vida; entretanto, desde muitos séculos, o apóstolo nos afirma que o tempo deve ser do Senhor[2]”.



Jivago Dias Amboni – Centro Espírita Círculo da Luz, Criciúma-SC



[1] Obra: Caminho, Verdade e Vida, Ditado por Emmanuel a Chico Xavier, ed. 2008
[2] Idem, p. 18, Ditado por Emmanuel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário