23 de jun de 2011

A Importância de Estudar Espiritismo

A Revelação Espírita tem em Kardec a sua base. Foi a partir de um estudo sério e racional sobre os chamados fenômenos espíritas que a codificação, ou os primeiros registros começaram a ser organizados por este pesquisador para a posteridade.

E foi com esta finalidade que o espiritismo em seu tripé, unindo a filosofia em sua primeira revelação com o Livro dos Espíritos, a ciência sendo a segunda com o Livro dos Médiuns, e religião com o Evangelho Segundo o Espiritismo teve sua codificação inicial. Seu fortalecimento se deu no século de amadurecimentos científicos, onde esta doutrina se fez ouvir perante os homens, resplandecendo como a luz, não para alterar os conhecimentos construídos até então, mas para atualizá-los, longe de superstições, misticismos e dogmas. O espiritismo vem descortinar o véu dos “mistérios” religiosos, trazendo o cristianismo redivivo novamente para os homens.

Neste ínterim, a Doutrina esclarece o passado, ilumina as demais correntes espiritualistas, recoloca a criatura em seu caminho, pois ensina a Esta o porquê da vida atual, ligando sistemas que até então pela imposição dos homens eram aparentemente contraditórios. Esta doutrina trás de volta os ensinos dos povos primitivos, comprova a ligação e a comunicabilidade com o mundo invisível, demonstra que a estada do espírito no corpo carnal faz parte da escola de aprendizado, revela definitivamente os horizontes infinitos, e abre uma nova perspectiva para a humanidade.

Com tudo, seu estudo aprofundado e de forma séria se faz necessário. Somente com esse estudo entenderemos o processo de nossas vidas, libertaremo-nos, pois a mente aberta liberta, e conquistaremos nossa fé raciocinada sabendo o que somos, de onde viemos e de acordo com o nosso merecimento – livre arbítrio – por onde caminharemos em nossa próxima existência, nos coloca a frente e responde questionamentos que outrora atormentaram os Seres.

Esta é a proposta do Espiritismo, seus discursos estão fundamentados nas obras espíritas, nos postulados científicos, filosóficos e na comunicação com os espíritos. Embasa-se também nos registros históricos de todos os tempos, mas para que tenhamos acesso as estas verdades, temos que abrir o véu de nossas mentes, descortinarmos a ignorância e ouvirmos o balsamo que jorra todos os dias dos ensinamentos de nossos irmãos que já encontraram a luz.

Estudando a Doutrina entenderemos que ela é o resultado de um processo milenar, originário das Leis da Natureza que esta em todo o Universo, e por sua vez sempre esteve dentre os homens.

Em todos os tempos, luzeiros da verdade têm baixado a humanidade; todas as religiões têm tido o seu quinhão, mas as paixões e os interesses materiais bem depressa velaram, desnaturaram seus ensinos; o dogmatismo, a opressão religiosa, os abusos de toda espécie levaram o homem a indiferença e ao ceticismo...[1]



As vozes do alto novamente voltaram a se fazer ouvir, ecoam por toda parte nos dizendo que o espírito é imortal, que é um eterno viajor do Cosmo, e que renasce na carne quantas vezes for necessário para o seu esclarecimento, seu aperfeiçoamento a caminho da luz. Afinal “O ser humano é um espírito em processo de crescimento intelecto-moral” nos diz Manoel Philomeno de Miranda[2] em obra psicografada.

Daí a necessidade de estudá-lo e entende-lo com seriedade, buscando-se obras realmente sérias. Só assim o processo de transição por que passam as almas será entendido. As Casas Espíritas estão de portas abertas para manter esta proposta, objetivando fazer com que a criatura reforme-se moralmente, uma reforma que depende deste próprio espírito encarnado, e que só se fará com a junção da fé e da razão, lógica esta pregada pela Doutrina dos Espíritos.



[1] DÉNIS Leon, Depois da Morte, p. 437, edição 2009.
[2] Obra: Transição Planetária, psicografia de Divaldo Pereira Franco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário